Fim da perícia online do INSS prejudica as solicitações do auxílio-doença

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) deu fim às perícias online, na última semana. As perícias possibilitavam o requerimento e a concessão do benefício do auxílio-doença. Desde o segundo semestre de 2020 os segurados do INSS estavam realizando suas avaliações médicas, para a obtenção do auxílio doença, de forma digital.

De agora em diante, se o segurado tiver sido acometido por alguma doença incapacitante para a atividade laboral, ele precisará se dirigir até a agência da Previdência Social mais próxima de onde reside, para então receber o atendimento presencial feito pelo perito do INSS. 

As perícias passarão a ser presenciais

No entanto, é válido ressaltar que somente com o agendamento realizado é que o cidadão poderá ser atendido. Aqueles que comparecerem nas agências sem horário marcado deverão ser dispensados.

Nesse momento o órgão informou que há cerca de 491 agências em funcionamento. No entanto, as filas de atendimento superam mais de 520 mil solicitações em todo o país.

Os impactos para a saúde com o fim das perícias online

Especialistas alertam que, como a pandemia da Covid-19 permanece, o término das perícias online podem promover riscos para os segurados que são dependentes deste modelo de atendimento. 

De acordo com o advogado previdenciário, João Badari, o Governo Federal deveria ter estudado alternativas para manter a perícia online, pelo menos, até boa parte da população brasileira ter sido vacinada, 

“O retorno da perícia presencial vai tirar as pessoas de casa, que para ir às agências, muitas vezes, terão que entrar no transporte público e correr o risco de contaminação. Até o fim, a medida estava funcionando muito bem”, afirmou o advogado.

Conforme apurado, a perícia online deveria ter sido disponibilizada, pelo menos, até o dia 31 de dezembro, porém, o fim foi antecipado.

Como fazer o agendamento para a perícia presencial

Para fazer o agendamento para a perícia presencial, deve-se entrar em contato através da Central de Atendimento pelo telefone 135, bem como pelo site ou aplicativo “Meu INSS”, onde será possível definir a data, local e horário da perícia. 

Os interessados podem conferir a lista das agências pelo site da autarquia, no link: https://covid.inss.gov.br/.

Na oportunidade, o INSS informou que há 491 unidades aptas para realizar todos os procedimentos necessários, as quais contam com o apoio e serviço de dois mil médicos peritos atuantes por todo o país. 

De acordo com o órgão, até o dia 4 de janeiro de 2021, mais de 520 atendimentos presenciais foram agendados em todo o Brasil para as próximas semanas. 

Por essa razão, Badari ressaltou que, independentemente de o atendimento ser realizado por meio virtual ou presencial, é fundamental que o segurado reúna o maior número de documentos que conseguir, como exames, laudos médicos, receitas de remédios, entre outros que possam comprovar a doença.

“Não basta demonstrar a doença, mas sim a incapacidade através desses documentos que ele vai mostrar. 

E no dia do atendimento o segurado deve informar ao perito qual é a incapacidade que a doença provoca e o que ela impede sua atividade no trabalho”, explicou o advogado. 

Ainda há especialistas que acreditam que o tempo de espera para conseguir o atendimento da perícia presencial deve ser prolongado. Desta forma, com base na Subsecretaria da Perícia Médica Federal, existem 583.249 atendimentos agendados para os próximos dias. 

Se você tem dúvidas sobre a concessão do benefício de auxílio-doença, agende um atendimento com um advogado especializado.

Notícias Recentes

Cuidados antes de pedir a revisão da vida toda no INSS

As melhores revisões para aposentados do INSS

Podemos ajudá-lo?

Mande uma mensagem e descubra como podemos te ajudar.