TRABALHOU EM MAIS DE 2 EMPREGOS AO MESMO TEMPO? SAIBA QUE PODE HAVER ERRO NO CÁLCULO DA SUA APOSENTADORIA.

Como funciona a aposentadoria de quem trabalhou simultaneamente em dois empregos? Professores, profissionais da área de saúde e engenheiros, por exemplo, passam por essa situação. É possível que, ao receber o benefício, o trabalhador perceba que haja um erro no valor. Como resolver?

Eu sou o Regis.

Quando me aposentei, tinha uma dúvida e acredito que ela pode ser a mesma de muitas pessoas. Então vou contar a minha história, e acho que ela pode te ajudar.

Trabalhei a minha vida toda como professor de geografia. E você sabe, né? Nossa profissão está longe de ser fácil. Cuidar de uma turma grande, ensinar, formar. É duro, mas muito gratificante.

Mesmo assim, as contas vinham todo mês, e um emprego só não dava conta de tudo. Por isso, a maior parte do tempo eu tive dois empregos (e cheguei até mesmo a ter 3!). Era aula de manhã em uma escola, corrigia provas durante a tarde e à noite dava aula em mais uma escola. Puxado, né?

Foram muitos anos nessa jornada dupla e, confesso a você, nos últimos anos o corpo e a mente pediam descanso. Queria aproveitar a minha vida, e tudo que lutei para conquistar, e com tempo para poder curtir minha família, minha esposa e ver os meus netos crescerem.

Mas eu tinha uma grande dúvida quando me aposentei. Olhava os valores e pensava: será que eles contaram a contribuição nos dois empregos? Eu achava que meu cálculo estava errado.

Fui ao INSS, mas eles não solucionaram meu problema. Eles não avisam, sabe? E isso nos deixa inseguros.

Foi quando eu encontrei com a Cida. Ela é vizinha aqui do prédio que moro, e nesses últimos meses ela teve um trabalhão para conseguir se aposentar e também para revisar a aposentadoria do marido dela, que como muitos enfermeiros trabalha em mais de um hospital. Como ela sempre falou bastante sobre esse assunto, achei que ela poderia me ajudar.

Ela me passou o contato do Dr. João Badari, especialista em direito previdenciário da ABL Advogados. Fui até o escritório dele para ter um melhor esclarecimento e tirar essa dúvida. Lá fui muito bem atendido. Me explicou o que seria preciso fazer.

“Para verificarmos se houve algum erro de cálculo em sua aposentadoria, é necessário o seu CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais) e a carta de concessão para análise. Já adianto que o INSS não deve ter somado as contribuições das duas atividades da forma correta, causando prejuízo e diminuição no valor das aposentadorias concedidas”.

Como eu tinha tudo organizado, consegui levar toda essa documentação para o doutor. E ele analisou todos meus documentos, fez a análise contábil do valor a ser recebido com a contagem de todos os períodos e ajuizou ação para revisar minha aposentadoria. De fato, havia um erro no cálculo da minha aposentadoria, e esse valor estava fazendo falta. É meu direito buscar uma vida bem mais confortável com um benefício que lutei tanto para conseguir, pois trabalhei duro, e em todos os meus trabalhos eu paguei ao INSS mensalmente. Muitos aposentados já conseguiram esse direito, e além de aumentar o valor da aposentadoria receberam os valores retroativos corrigidos pelo INSS.

 

Tags:

  • APOSENTADO,
  • empregos,
  • INSS,
  • João Badari

Podemos ajudá-lo?

Mande uma mensagem e descubra como podemos te ajudar.