Revisão da aposentadoria dá atrasados de R$ 563 mil

Quase 30 anos após um erro do INSS ter resultado na revisão de cerca de 1 milhão de benefícios, as aposentadorias concedidas entre 5 de outubro de 1988 e 4 de abril de 1991 –período conhecido como buraco negro– ainda têm chances de ser corrigidas, gerando atrasados que podem passar de R$ 500 mil.

Os mais altos valores pagos a beneficiários que entram na Justiça contra o INSS resultam das chamadas revisões do teto do buraco negro, segundo o advogado João Badari, do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados.

Há ao menos três explicações para essa revisão ser tão vantajosa. A primeira é que ela vale para quem contribuiu com valores altos, ou seja, o teto previdenciário.

O segundo motivo é o tempo de espera: os atrasados são pagos desde cinco anos antes de uma ação civil pública de 2011 –pela qual o INSS assumiu compromisso de corrigir parte dos benefícios prejudicados. O montante devido ao segurado ainda tem correção monetária e indenizações.

20/05/2018 Jornal Agora SP – Veja na integra

Imagem Jeso Carneiro

Podemos ajudá-lo?

Mande uma mensagem e descubra como podemos te ajudar.